segunda-feira, 20 de maio de 2013













sexta-feira, 17 de maio de 2013

MAQUINA DO CORPO HUMANO


Globo Repórter revela detalhes do  fantástico corpo humano

Seiscentos e quarenta músculos. Três bilhões de fibras nervosas. Trinta trilhões de células vermelhas. A máquina perfeita dispara pelas ruas da grande cidade. E quem poderia detê-la? Um esqueleto leve como alumínio. Resistente como aço. E quatro vezes mais forte que o concreto. Somos um espetacular produto de engenharia. Por dentro. E por fora. No centro de tudo, o coração. É a nossa sala de máquinas. Bombeia sangue através de 96 mil quilômetros de veias. E repete a operação 40 milhões de vezes ao ano. E o mais espantoso: somos sete bilhões de exemplares. Únicos: nenhum igual ao outro.No Globo Repórter, vamos mergulhar no organismo mais complexo do planeta. E nessa viagem teremos a ajuda até de um engolidor de espadas.

GREP_Corpo2 (Foto: Rede Globo)
A partir do momento em que nasceu, o menininho respira, mama e engole. Pode tossir, espirrar, piscar e cheirar.
Logo que se acostumar ao novo ambiente, poderá ouvir tudo o que se passa. Sua visão é fraca - mas ele reconhece a voz da mãe. E seu cérebro - com 100 bilhões de neurônios - vai dobrar de tamanho no primeiro ano de vida.
O primeiro choro é um marco: a partir deste momento, a laringe do bebê - ou caixa vocal - se tornará uma das partes mais ocupadas do seu corpo.
“A voz é uma característica única de todos nós”, explica o doutor Michael Benninger.
E ela começa na laringe. A laringe de um adulto é filmada com uma câmera especial por dentro da traqueia. O ar que sai dos pulmões passa por ela, vibrando as cordas vocais. Esse som é amplificado pela garganta. E moldado em palavras pela língua e pelos lábios.
“Se você observar os cantores, verá que eles mudam de intensidade rapidamente. Podem alterar a altura. A sonoridade. Não existe instrumento que possa fazer o mesmo", diz o médico.
E a laringe também nos ajuda a respirar e protege os pulmões de corpos estranhos que entrem através da boca. Vivemos num mundo hostil. E os sofisticados sistemas de defesa do nosso corpo são levados ao limite. Quando respiramos. Quando comemos. Somos atacados por toxinas, vírus, parasitas e bactérias.
“Elas estão por toda parte. Parece uma invasão espacial. Muitos destes microorganismos agressivos entram no nosso corpo através da língua. Veja na imagem, como ela fica ampliada por um microscópio: coberta por milhares de papilas gustativas que nos ajudam a distinguir milhões de químicos diferentes que atravessam a nossa boca", afirma a infectologista Sorana Segal-Maurer.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Você cai nos mitos sobre o consumo de ovos? Descubra se ele aumenta o colesterol e pode ser consumido todos os dias

POR CAROLINA GONÇALVES - 

Mais do que presente no cardápio dos brasileiros, o ovo é um alimento versátil e muito nutritivo. Rico em proteínas que garantem o bom funcionamento do organismo, os ovos também são um prato cheio das vitaminas A, D, E, K e do complexo B, além de minerais como ferro, fósforo, manganês, potássio e ômega 3. "A melhor forma de consumi-lo é cozido ou sem adição de óleo, podendo inclusive ser enriquecido com legumes", diz a nutricionista Fernanda Brunacci, da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-estar, em São Paulo. Entretanto, você deve estar se perguntando se o ovo realmente é um alimento saudável, uma vez que já foi muito condenado pelos médicos. Tire suas dúvidas sobre o consumo de ovos e passe a inclui-los em uma dieta saudável: 
 O ovo já foi considerado um inimigo da saúde do coração por aumentar o colesterol ruim (LDL). "Porém, a maior parte do colesterol presente em nosso sangue é produzida pelo próprio organismo", diz a nutricionista Cristina Grandjean, do Spa Fazenda Igaratá, em São Paulo. Ela afirma que a quantidade de colesterol de um único alimento não tem impacto direto sobre o colesterol sanguíneo, mas sim um conjunto de fatores como genética, consumo de gorduras saturadas e trans, falta de atividade física e pouca ingestão de fibras. "Além disso, o ovo possui uma substância chamada fosfolipídeo, capaz de impedir a captação de colesterol pelo intestino, órgão responsável por levar a substância até o sangue", completa a especialista. Dessa forma, o ovo não só não aumenta o colesterol, como também possui mecanismos que impedem o aumento da substância no sangue.
"A clara não tem gordura e possui todos os aminoácidos essenciais, ajudando em diversas funções do nosso organismo", explica a nutricionista Cristina. Mas isso não quer dizer que você precisa descartar a gema sempre que for comer ovos, pois ela também tem seus benefícios. Um estudo feito pela Universidade de Alberta, no Canadá, descobriu que a gema do ovo é rica em antioxidantes e possui substâncias que diminuem a pressão arterial. Depois de analisar as propriedades do ovo, os pesquisadores observaram que duas gemas cruas têm quase o dobro de antioxidantes de uma maçã e praticamente a mesma quantidade encontrada em 25g de mirtilos. "A parte amarela também é fonte de ferro e ácido fólico encontrado, além de ajudar a reduzir o risco de coágulos e bloqueio das artérias, prevenindo doenças cardíacas", completa a nutricionista Fernanda Brunacci, da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-estar, de São Paulo.
O consumo de ovos é muito recomendado para quem faz atividade física pesada, principalmente musculação. Isso porque além de o ovo conter todos os aminoácidos essenciais, que ajudarão na reconstrução muscular, ele é rico em uma proteína velha conhecida dos atletas chamada albumina, que além de dar energia ajuda no ganho de muscular. "Como essa proteína se concentra na clara, o recomendado para os praticantes de musculação é ingerir de uma a duas claras por dia de exercício, para ajudar na recuperação e restauração dos músculos", aconselha a nutricionista Cristina. "É importante não ultrapassar essa recomendação, já que o excesso de consumo de proteínas pode sobrecarregar os rins."
Mesmo que sejam comprados em um mercado de confiança e estejam dentro do prazo de validade, os ovos podem estar contaminados na casca com a bactéria salmonela, que pode causar sérios problemas de saúde e inclusive levar à morte ? e ela só morre quando exposta a temperaturas acima de 50 graus. "Por isso, para aproveitar seus benefícios, os ovos devem ser consumidos cozidos, mexidos, na forma poché ou até em omeletes", diz a nutricionista Fernanda.
A nutricionista Cristina explica que as proteínas do ovo são convertidas por enzimas do estômago e intestino, produzindo substâncias chamadas peptídeos. "Esses últimos agem da mesma forma que os inibidores de ECA, medicamentos usados para baixar a pressão arterial", afirma. Dessa forma, o efeito que o ovo traz para o organismo é na verdade o contrário do que se pensa - se consumido de maneira saudável, ele pode inclusive reduzir a pressão arterial. No entanto, é importante ressaltar que a forma como o ovo é preparado interfere nesse benefício. "Uma vez que usamos grandes quantidades de óleo para fritá-lo ou então acrescentamos outras gorduras, como o bacon, a refeição certamente irá não só contribuir para o aumento da pressão, como também do colesterol."
A gema do ovo contém uma substância chamada colina, nutriente que ajuda a melhorar a memória e a capacidade cognitiva, atuando na formação de novos neurônios. "Esse nutriente também é importantíssimo para o pleno desenvolvimento fetal, na formação do tubo neural", diz a nutricionista Fernanda. Um ovo supre 22,7% das nossas necessidades diárias desta substância.
Pode parecer mentira, mas um ovo cozido tem apenas 75 calorias - o que é uma ótima notícia para quem procura emagrecer sem abrir mão de alimentos do cotidiano. "O ovo também é um alimento de alta saciedade, ou seja, faz com que a pessoa fique menos faminta e demore mais para voltar a ter fome", afirma a nutricionista Cristina.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

MINHAS DECISÕES DIANTE DE TUDO ISTO:

NIVALDO NASSIFF
MINHAS DECISÕES DIANTE DE TUDO ISTO:
1. Que faxinas na alma estou precisando? Parta para as arrumações necessárias. Confessa com teu cônjuge, ou com uma pessoa madura e espiritual. “Se confessarmos nossos pecados uns aos outros, seremos CURADOS”. Precisamos de CURA, de LIBERTAÇÃO, uma vez que perdão já obtivemos na cruz.
2. Estou consciente que de Deus ninguém pode zombar? Nada que fizermos, permanecerá sem dar frutos. E seremos nós, e aqueles a quem mais amamos, quem os colherá, de maneira amarga e talvez mortal.
3. Que legado poderei deixar para meus descendentes? Você permanecerá “vivo” em seus descendentes. Deixará um legado de “lepra” ou de cura?

CONCLUSÃO.
Creio que Geazi se arrependeu e foi curado de sua lepra, porquanto segue sendo o servo de Elizeu. Vemos isso quase que claramente no capítulo 6 de II Reis e, podemos ver isso BEM claramente, no capítulo 8 do mesmo livro. Ele termina sua participação na história, sendo um instrumento de bênçãos, quando conta os feitos de Eliseu ao rei de Israel. Naquele exato momento entra a Sunamita com seu filho. Geazi, aponta para ela e diz ao rei: “Eis a mulher com seu filho. É ela. Este é o menino milagre que foi ressuscitado por Eliseu. São eles”! O rei, comovido pelo testemunho de Geazi, faz com que todos os bens daquela mulher lhe sejam devolvidos com “juros e correção monetária”. Faz com que todo o lucro dos últimos sete anos, obtidos pela exploração de suas terras, também lhe sejam devolvidos. Geazi, termina sua participação nos destinos do povo de Israel, ali. NUCA MAIS se houve falar de Geazi. NUNCA MAIS!!! Ele bem que poderia ter sido o sucessor de Elizeu. Mas não o foi. Ele bem que poderia ter sido o protagonista da história de Israel, mas não o foi. Em vez de fazer história, só pôde contar história. Por que será? Ele não fora restaurado de sua lepra? Sim! Na minha opinião, ele fora SIM restaurado de sua lepra. Tenho mais uma opinião. Não precisa acreditar em mim. É só minha opinião. Eu creio que nenhum REBELDE perdoado, e restaurado, é novamente restaurado à posição de LIDERANÇA. Geazi fora perdoado e curado de sua lepra, mas não fora transformado no substituto de Eliseu. ME PARECE, que o Senhor não permite a um rebelde, que teve tempo de se arrepender e ser curado, de subir ao posto de liderança de seu povo. A turma de Coré foi engolida viva pelo abismo. Miriã esteve leprosa por 7 dias. Arão fora perdoado pelo Senhor, mas NUNCA mais poderia liderar. Quando Moises é tomado pelo Senhor, Arão não é seu substituto, Josué o foi. Creio que o Senhor foi bom e misericordioso com Geazi. Ele o usa com graça e poder diante do rei e da sunamita. Parece que o Senhor estava dizendo a Geazi: “Viu Geazi, como Eu ainda o posso usar? Viu a prova de meu perdão? Mas agora, Eu o tiro da ribalta, onde o drama da existência acontece, e para onde os holofotes da fama apontam, e o coloco no anonimato do auditório, onde as luzes estão apagadas - para onde os holofotes não se direcionam. Mas, você é bem-vindo em meio ao Meu povo. Só não será, nunca mais um líder! Mas SEMPRE será meu filho querido, perdoado, restaurado e participante nas festas de amor do arraial do Senhor”. Jamais será um protagonista, mas sempre poderá assistir a história passando diante de você!

O CAMINHO DA CURA II

 Aprenda a depender somente de Deus. Não trabalhe somente pelo dinheiro. Este ponto, também abordou o Reverendo Jeremias Pereira. Eu sou Pastor a 32 anos. Já podemos presenciar milagres extraordinários do Senhor, em nossa vida e família. SEMPRE o Senhor foi fiel. Quando eu fui chamado para o ministério Pastoral, um dos maiores medos era, exatamente, como seria sustentado e como sustentaria minha família. Esta coisa de “depender” de Igreja, de pessoas, de conselhos ou assembleias, não me parecia muito seguro. E não é mesmo. Por isso, precisamos depender de Deus, e JAMAIS de pessoas ou organizações. La pelos idos de 1977, eu abri a Bíblia e perguntei ao Senhor se Ele iria me sustentar. Então meus olhos encontraram o ultimo versículo: “E quanto a sua subsistência, de contínuo lhe foi dada pelo rei, a porção de cada dia no seu dia, todos os dias de sua vida. II Reis 25:30.”. Eu recebi como uma revelação do Senhor para minha vida. Até hoje Ele não falhou! Todavia, por muitas vezes me vi em situação de aperto, de dor e gemidos, diante de períodos de desertos. Mas, o “maná” caía, e caía a cada dia. Foram anos de suprimento diário, à conta gotas, mas milagroso. Houve momentos de fartura, de possibilidade de “festas”. Houve um tempo em meu ministério que enfrentei tremendas oposições na Igreja. Meu salário já havia sido cortado umas três vezes. Minha casa fora devolvida ao banco, em função dos cortes de salário. Depois veio o corte do plano de seguro médico. Era contra a lei estadual. Não houve misericórdia nem para com o Rafa que com sua síndrome não poderia ficar sem os médicos. Minha esposa e eu decidimos, por orientação do Senhor, não lutar, não brigar. Havíamos decidido entregar nossos “direitos” ao Senhor. Mesmo assim éramos acusados de manipulação, má administração, roubo, e tantas coisas mais. Um membro daquela igreja, vinha à todas as reuniões administrativas e me afrontava: “Você ganha bem. O povo está sofrendo pra ganhar o pão de cada dia e você aí, sem fazer nada (Pastor não trabalha, eu acho que ele achava), na boa, recebendo este salário enorme. Quero ver se você é capaz de sair aí fora e procurar emprego. Isso sim eu quero ver”. Era duro de ouvir. Mais duro ainda de engolir. Mas, eu estava estudando outra vez. Voltara para aos estudos, fui lutando e lutando até, em meio a gemidos e dores e falta de grana, consegui um doutorado (que paguei dando aulas), em aconselhamento. Na hora que terminei meu doutorado, a crise veio e mais cortes de salários chegaram. Fui ao campo, arrumar trabalho, e arrumei. Comecei a ganhar bem mesmo. Então, no meu coração dilacerado pelas blasfêmias e calúnias, pensei: “Quer saber de uma coisa? Nunca mais vou depender do salário de Igreja e de gente mesquinha. Vou depender de mim mesmo. Olha só como estou ganhando bem!”. Meu amigo, Deus ouviu as vozes de minha arrogância. No dia seguinte meu chefe me chamou e me deu uma bronca tão grande, e ameaçou despedir-me. Voltei pra casa “com o rabo no meio das pernas”, e disse à minha esposa: “Sabe o que me disse o Senhor, enquanto meu chefe gritava comigo nesta manhã? O Senhor me disse: Seu sustento não depende, nem nunca dependeu, nem de igreja, nem de chefe, nem de grandes corporações, nem muito menos de você mesmo. Seu sustento sempre dependeu e sempre dependerá de mim, o Senhor! Deu pra aprender esta lição finalmente?”. Sim Senhor, sim Senhor, respondi. Depois disto, minha performance melhorou muito naquele trabalho. Atendi dezenas de pessoas e fui muito, muito bem pago por meu trabalho. De certa forma, aquele sujeito com aquela “ponta de faca” (língua pontuda e envenenada, preta na ponta por estar bronzeada pelo sol, uma vez que vivia muito tempo exposta, fora da boca) na minha barriga, fora uma benção de Deus, pois descobri que o Senhor pode dar graça a um velho como eu, para estudar e trabalhar. De maneira que, embora reconheça os tempos de crise, também aprendi não ser preguiçoso ou vagabundo e, especializar-se, em pelo menos uma área, lhe dá muito mais chances de ser bem-sucedido, do que só ser um “critico (estúpido) profissional” de plantão. Depois, você olha as histórias de vida de uns e outros e, vê que a Bíblia tinha razão. Agora tenho que confessar, outra vez: com a velhice às portas (já entrou na sala de estar), percebo-me às vezes preocupado, pensativo e perguntando como será. Quando já não puder mais trabalhar, como sobreviveremos? Então Ele, Ele, Ele, cheio de graça e paciência, volta e deixa claro outra vez que dará Seu jeito. Fará Seus milagres. Sua promessa ainda é válida: “a porção de cada dia no seu dia, TODOS os dias de sua vida…”. Nada de ansiedades. Bastará equilíbrio em como gastar e algum planejamento em como guardar, quando puder. No demais, SEMPRE, é dEle, de onde nos vem o sustento.
5. Aprenda a restituir. Geazi, perdeu a chance de restituir. Ele poderia ter corrido atrás daquele comandante, pedir perdão e DEVOLVER o que não lhe pertencia legitimamente. Pare para pensar: Naamã, o grande super-herói da Síria, homem muito honrado pelo rei da Síria, não impediu outros dois ou três ataques do rei da Síria contra Israel. Isto me impressiona. Por que será? Será que o “contratestemunho” de Geazi, teria “maculado” a experiência de conversão deste “novo crente”? Será que estamos nos apressando demasiadamente em tirar “ofertas” dos ricos e celebridades, que recém se converteram em nossas igrejas? Basta um pequeno deslize moral, para que o inconverso e inimigo encontre todas as razões para nos atacar outra e outra vez. Não creio que o mundo espere por crentes perfeitos. Mas, pelo menos, não deveríamos ser um pouquinho mais COERENTES? Seria bom não errarmos, não pecarmos. Mas, se o fizermos, deveríamos reconhecer, pedir perdão e fazer o que for possível para corrigir e restituir sempre que for preciso. No mínimo!

O CAMINHO DA CURA

O CAMINHO DA CURA.
O Senhor nos oferece, na história de Geazi, algumas dicas que poderão ajudar na caminhada da cura, da purificação e da “faxina” de nossa alma. Vejamos:
1. Mergulhar no “Jordão”, que é o sangue de Jesus e aproveitar as oportunidades de arrependimento, antes que seja tarde. Quando estiver diante da possibilidade de dizer a verdade, FAÇA-O. Saiba que a DOR de uma PUNIÇÃO é sempre, infinitamente, menor do que o PRAZER da LIBERTAÇÃO. Opte por não se deixar ser escravizado, NUNCA MAIS, por nada e nem ninguém. CONFESSE a Deus e, quando for preciso, confesse a outra pessoa.
2. Mude os temas das conversas interiores. Se a Bíblia diz que a boca fala do que está cheio o coração, então lote seu coração de coisas boas! Só telenovelas, só televisão, só videogames, só? Não! Equilibra: Fez uma hora de televisão? Faça uma hora de uma boa leitura. Super lote, inunde sua mente de coisas que edificam, enobrecem, educam, orientam, enriqueçam, que possam arejar a mente, os pensamentos e os sonhos. Olha só o que diz a Bíblia: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. Filipenses 4:8”. E mais: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:2. Não “CONFORMADOS” (com a forma que lhe impõe pessoas, modas e modismos, cosmovisões) mas antes “TRANSFORMADOS” (se auto formando em algo novo e melhor).
3. Aprenda a prestar contas de sua vida com alegria, entendendo que exatamente aí está sua liberdade e paz. Prestar contas de nossa vida a alguém, é a mais segura fonte de paz, liberdade de libertação que eu jamais encontrei em minha vida. Tenho ALEGRIA de dizer à minha esposa, o tempo todo, onde estou, o que estou fazendo, com quem estou. Me sinto bem. Gosto de fazer isso. Talvez seja “nosso jeito de nos amar”. Mas, TAMBÉM é uma LIBERTAÇÃO para mim. Sou Pastor, Conselheiro, trabalho com terapia. Recebo muitas pessoas para ouvi-las. Tento ajudá-las a reorganizar suas vidas. Ouço do que você, talvez, jamais imaginou existir. Mas, sou de carne e osso. Ou melhor dizendo, sou de barro. Com paixões, tentações, ambições, cobiças, taras e fantasias que sobrevoam minha cabeça. Preciso de ajuda. Preciso ter a quem prestar contas de meus atos, lugares e companhias. Minha esposa é minha amiga, minha fiel irmã. Ela é minha mulher, minha namorada, minha amada, minha amante. A ela, pela graça de Deus, presto contas de minha vida, com extrema alegria e gratidão a Deus. Mas, tenho meu chefe aqui na Igreja. Meu superior é um jovem brilhante, que eu amo como a um filho. A ele presto conta de minha agenda ministerial, algumas vezes por dia! Ele não me pede. Mas eu o faço. Quando, meu amado chefe, sabe onde estou e o que estou fazendo, estou em LIBERDADE! Estou “autorizado”; estou “PROTEGIDO” por ele. Às vezes vou atender pessoas que me levam para almoçar. Se alguém me vê num restaurante almoçando com alguém e, ir contar para minha esposa ou para meu chefe, perderá seu tempo, pois ANTES de ir recebi a autorização e a benção deles! E, lógico, dependendo com quem é, irei, ou com minha esposa, ou com alguém mais do ministério! Geazi tinha à sua disposição nada menos do que um dos maiores vultos da história da humanidade. Que felizardo era Geazi. Será que ele sabia disto? Será que ele podia entender que estava sob acompanhamento? Tudo que lhe fosse ensinado, na teoria ou na prática, com certeza, se refletiria em sua formação. Na maioria das vezes, e dos casos, o sucesso de um ministro, ou discipulando, vai depender da forma como é orientado e quando é orientado. Não duvidamos da forma de orientação dada a Geazi por Eliseu. Este foi chamado de “o santo homem de Deus”. No Antigo Testamento, Eliseu foi o profeta que mais realizou milagres. Ele foi um homem de muita fé em Deus. Sabe você avaliar corretamente a benção de ter a quem prestar contas? O está fazendo? Não? Comece agora. Liberte-se!

LIÇÕES DA VIDA DE GEAZI IV

6. Usou o nome do Senhor em vão. Em êxodo 20:7, o Senhor dá claro mandamento sobre esta questão, do uso do nome do Senhor. Até hoje um judeu ao ler a Bíblia, quando enxerga escrito a palavra Deus, ele pronuncia “Senhor”. Ele não se atreve a dizer, a mencionar o nome de Deus. Sempre o diz: Senhor. Os americanos crentes jamais usam a expressão: “my God”. Esta expressão não é usada pelos crentes americanos. Ele usam: “my gosh”. Para, desta forma, não usar o nome do Senhor em vão. Já ouvi cristãos, em estados alterados, usarem expresses como (o Senhor me perdoe por escreve-las aqui): “meu Deus do Céu, que inferno!” Ou pior ainda: “meu Deus, que diabo!”. Creio que o Senhor se vingará destas palavras proferidas por nossos lábios. Que a tenaz do altar possa ser trazida, pelos anjos, e queimar as palavras vãs e impuras de nossos lábios. Purifica-nos Senhor!!!
7. Manipulação de pessoas. Aqui a coisa pega feio. Creio que é preciso um exame constante e criterioso de nossas vidas quando elogiamos pessoas, quando exaltamos virtudes dos outros, quando reconhecemos valor em nossos amigos. O que, DE VERDADE, está por traz de nossos elogios e reconhecimentos? Será que não estamos, em nenhum momento, desejando “usar” estas pessoas, com a finalidade de alcançarmos algum objetivo secreto? Outro dia eu estava numa cerimônia fúnebre em minha igreja. Um irmão idoso falecera. Era rico. Família rica. De-repente um pensamento passou por minha cabeça: “bem que a viúva poderia doar o carro do defunto pra mim, pois estou precisando tanto de um carro. Defunto não dirige e eu não tenho medo de fantasmas”. Viu meus “racionalismos” falsos aí? Sabe de uma coisa? Me levantei e abandonei a cerimônia. Fui para casa! Sabe por que? Porque Lutero disse uma vez: “não podemos impedir que pássaros voem sobre nossa cabeça, mas podemos impedi-los de fazerem ninhos!”. Hoje, este assunto, graças a Deus, virou piada. Sempre que a conto, me serve de alerta para EXAMINAR, muito criteriosamente, minhas motivações secretas! Deus dá-nos livre-arbítrio. Satanás nos manipula. O que liberta vidas vem do Espírito Santo. O que manipula pessoas, também sei de onde é! De onde é você? De onde? Confessa e sai daí agora, em nome de Jesus!!!
8. Dificuldade em ser o segundo; rebelião. O Reverendo Jeremias Pereira, em seu sermão sobre Geazi, menciona a dificuldade do mesmo ser o “segundo”. Isto é fato. Quero me atrever a dizer que a dificuldade em ser o segundo tem um nome: REBELIÃO. Na verdade, para mim, aí está a RAIZ de todos os problemas de Geazi: a REBELIÃO de sua alma. A “PORTA ABERTA” por onde entraram todas as outras “lepras secretas, escondidas em lugares secretos”, em sua alma. Fosse ele um SERVO, de corpo e alma, mesmo diante de compulsões e cobiças, as poderia frear (e quem sabe as confessar muito cedo em seu relacionamento com Eliseu), impedindo, a si mesmo, de cometer os pecados que cometeu: pré-conceitos raciais, nacionalismo extremado, compulsão, cobiça, mentira, manipulação, mais mentiras, usar o nome do Senhor em vão, não aproveitar as oportunidades de arrependimento, etc, etc. Rebelião significa INCAPACIDADE DE SUBMETER-SE ao líder; seja quem for o líder. A rebelião instalada na alma de Geazi, o fez ir além de seu senhor Eliseu, porquanto em seu interior, ELE MESMO era seu MAIOR senhor. Deus, ME PARECE, não aceita a rebelião em Seu arraial. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. 1 Samuel 15:23. Como feiticeiros habitariam impunes nos santos lugares da presença do Senhor? Já no caso de Miriã, o Senhor a cobriu de lepra por se rebelar conta o líder Moisés. Agora seria a vez de Geazi. Também sob a liderança de Moisés, milhares de rebeldes foram engolidos, literalmente, pelo abismo, quando se rebelaram contra o ungido do Senhor. Tudo indica que o Senhor trata, com EXTREMO VIGOR E RAPIDEZ, o rebelde. Uma vez uma jovem disse: “você pode me mandar ficar de joelhos, que eu obedeço, mas em meu coração eu permanecerei em pé”. Que pena! Deus não é como o homem, que vê a aparência. O Senhor vê; SEMPRE VÊ, o coração. E por seu coração o avaliará e o julgará!!!

LIÇÕES DA VIDA DE GEAZI III

Não é assim? Pois devemos tomar cuidado. Em TODAS as raças (criadas por Deus) do mundo há pessoas más e pessoas boas. Há defeitos e virtudes. Mais do que isso, TODAS AS RAÇAS são merecedoras da GRAÇA, de GRAÇA! Pré-conceitos, na maioria dos casos, levaram seus depositários à discórdias, brigas, divisões e dor.
5. Mentira. Esta “leprinha secreta” é avassaladora. Vamos olhar para a Bíblia Sagrada: Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. Efésios 4:25. Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira. Apocalipse 22:15. Suave é ao homem o pão da mentira, mas depois a sua boca se encherá de cascalho. Provérbios 20:17. Destruirás aqueles que falam a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento. Salmos 5:6. Abomino e odeio a mentira; mas amo a tua lei. Salmos 119:163. A falsa testemunha não ficará impune e o que respira mentiras não escapará. Provérbios 19:9. Quem fala mentira, precisa ter boa memória. Quem fala a verdade não precisa de ter boa memória. A mentira tem pernas curtas. A mentira tantas vezes contada acaba se parecendo com a verdade. Meia verdade sempre será uma mentira inteira. Me parece que há muitas “motivações” para a mentira. Creio que as piores são as que tem por principal objetivo, levar a pessoa a auto gloriar-se diante dos outros. É uma tentativa de ser aceito? Ou será uma tentativa de se mostrar melhor do que de fato o é? Será que pode ser por medo de ser rejeitado, e então passa a interpretar um papel diferente, do que o é de fato - na vida real? Vestimos uma máscara e saímos às ruas, é assim? Outra motivação é a de esconder uma falta, um erro ou um pecado. Conta-se a história de um garoto que estava atirando pedras com um estilingue, em umas latas colocadas em uma cerca à sua frente. De-repente uma das pedras passa por cima da cerca e acerta em cheio a cabeça de um dos gansos que sua mãe criava naquele sítio onde viviam. Eram gansos de competição. Eram gansos premiados e portanto muito caros. O ganso morreu instantaneamente. O garoto entra em pânico. Olha a volta e não vê ninguém. Então enterra o ganso secretamente e retorna à casa como quem não fez nada de errado. Era costume, naquela casa, ajudarem a mãe com a limpeza da mesa após o jantar, varrer o chão e lavar as louças. Aquele garoto tinha uma irmã mais velha que ele. Quando um limpava a mesa e varria o chão o outro lavava as louças. Ele revezavam os serviços diariamente. Naquele dia, o garoto limparia a mesa e varreria o chão e sua irmã lavaria as louças. Quando sua mãe perguntou aos filhos, quem faria o que naquela noite, sua irmã disse: “meu irmão limpara a mesa, varrerá o chão e lavará as louças para mim”. Quando o garoto ia reclamar, a sua irmã foi ao seu ouvido e disse uma palavra “mágica”: GAAANNNSSSOOO. O garoto estremeceu e imediatamente respondeu à sua mãe: “SIM! Eu vou fazer toda a tarefa para a minha irmãzinha hoje!”. Para a tristeza do garoto ele passou a realizar não só aquelas tarefas da casa, como também a fazer tudo e qualquer coisa que sua irmã desejasse. Bastava ameaçar de contar tudo para a sua mãe que o garoto saia fazendo rapidinho tudo que sua irmã queria. Ele se tornara um escravo de sua irmã. Três semanas depois, o garoto já não tinhas forças. Três semanas sem brincar, sem sair de casa. Não havia tempo para nada. Exausto, decide contar tudo para sua mãe, lhe pedir perdão e, quem sabe, iria receber uma tremenda punição. O garoto chama sua mãe e conta tudo. Então sua mãe lhe diz: “Eu sei de tudo. Eu estava na janela quando tudo aconteceu. Você não podia me ver, mas eu podia ver tudo. E eu lhe perdoei no mesmo instante em que tudo aconteceu”. O garoto escravo, então diz pra mamãe: “E, porque você me deixou ser transformado num escravo de minha irmã nestas três horrendas semanas de minha vida?”. A mamãezinha dele respondeu: “porque você não veio me confessar o ocorrido no mesmo instante. No mesmo instante você seria liberto, porquanto perdoado já estava. Você preferiu esconder seu erro e passou a sofrer. Sua escravidão não foi minha punição, foi sua escolha!”. Jesus chama satanás de “pai da mentira”. Jesus faz um trocadilho: “o mentiroso é o pai da mentira”. Seria o mesmo que dizer: “satanás é o pai da satanização”. Como poderemos seguir vivendo com Cristo no coração e satanás na língua? Como poderemos ter um coração que louva e adora o Senhor e uma língua que glorifica satanás? Como poderemos seguir servindo a “dois senhores”? Para a Bíblia, a língua indica quem está em seu coração! Se de tua boca procede a mentira, é porque satanás é o senhor de teu coração, possuidor e escravizador de tua alma. Pense bem sobre isto. Quem de fato, é o “Dóminus” (Senhor) de tua vida?

LIÇÕES DA VIDA DE GEAZI II

NIVALDO NASSIFF
2. Cobiça. É alguma coisa tremendamente interessante (pela maneira como age dentro de nós) e tremendamente PERIGOSA, pela maneira ao mesmo tempo sutil e violenta como nos domina. Cobiçar é desejar o que é do outro. Cobiça é irmã gêmea da INVEJA. É aquele desejo intenso de ter o que pertence a outra pessoa. Você queima por dentro, de vontade de ter o que não lhe pertence, por pensar (erroneamente) que você merece ter aquilo, muito mais do que a outra pessoa. Olhe o que a Bíblia diz sobre a cobiça: Êxodo 20:17. É MANDAMENTO do Senhor. É mandamento VÁLIDO, em VIGÊNCIA! A compulsão, associada à cobiça, se transformam numa poderosa arma contra os que por elas estão acorrentados. Ambas passam a DOMINAR os pensamentos e as bases do raciocínio, levando os cativos a racionalizações, que por estarem em bases “leprosadas”, fatalmente conduzirão os aprisionados à conclusões ERRADAS! Então o desastre se avizinha com intensa rapidez!
3. Racionalismo, conversa consigo mesmo. Esta “lepra interna” de Geazi, o levava a conversar com ele mesmo. Uma das piores coisas que acontecem na vida dos seres-humanos é a “conversa com seus botões”. Com uma frequência incrivelmente absurda, os nossos botões SEMPRE concordam conosco. Se você é dominado por uma compulsão qualquer, sempre que conversa com você mesmo, seus botões concordarão e o incentivarão à ação rapidamente. O alcoólatra diz a si mesmo:” hoje vou beber só um pouquinho, porque estou me sentindo forte”. Os botões logo respondem: “tá mesmo… “ihhh ocê tá forte demais, bebe sim…afinal só um pouquinho não fará mal a ninguém”. O dominado por baixa autoestima, pode dizer a si mesmo: “é… pra que continuar vivendo, eu não sirvo para nada mesmo”. E os “botões” logo completam: “pula ali daquele prédio”. Às vezes penso que, satanás não precisa fazer muito esforço para convencer o dominado pela compulsão, ou pela cobiça, a fazer nada de errado. O seus “botões” dão conta de o fazer.
4. Nacionalismo e pré-conceito racial. Parece-me que Geazi experimenta aquele tipo de nacionalismo exacerbado, exagerado, extremado. Parece que ele está conversando com os botões dele outra vez. Ali estavam os novos “racionalismos” de Geazi: “nenhuma outra raça é melhor do que a minha. Eu sou judeu; as outras nações são somente gentílicas. Este siro aí, não ficará sem pagar pela benção que recebeu de minha nação. Quem ele está pensando que é, vir aqui, ganhar esta cura maravilhosa e não deixar uma oferta bem gorda?”. Geazi se parece muito com certas pessoas que colocam estereótipos nos outros e em outras raças. De alguma maneira sutil e maliciosa, bem dentro de nós, existe um “pré-conceito” racial; não é verdade? Já nos pegamos com pensamentos tais quais: “ihhh estes japoneses; árabes, paraguaios, arrrgggennntiinnnos, americanos?” E, em cada uma destas raças, vestimos uma roupa identificadora: desconfiados, ladrões, falsificados, orgulhosos, imperialistas. 

LIÇÕES DA VIDA DE GEAZI,

LIÇÕES DA VIDA DE GEAZI, SUA HISTORIA, SEUS ALTOS E BAIXOS E LICOES PRA MINHA VIDA
GEAZI, foi um homem bem do jeito que eu posso vir a ser, MAS NAO QUERO SER. Eu corro o risco o dia inteiro de me tornar como Geazi. Mas, eu não quero ser assim. Portanto, a vida de Geazi se torna, para mim, um “alerta” da parte do Senhor. Lembrar-me da vida dele e das consequências dos atos e decisões de Geazi, poderá me ajudar a não ser igual a ele.
. SUA HISTÓRIA: Já olhamos para a história dele, nos quatros principais momentos, em que seu nome e sua vida, se misturam com fatos marcantes na vida de Eliseu e em sua própria vida:
1. A mulher de Suném;
2. O milagre na vida de Naamã;
3. O exército de anjos;
4. Contando os feitos de Eliseu ao rei de Israel.
. SUA POSIÇÃO. Já olhamos, aqui neste texto também, qual era a posição extremamente importante que ele exerceu, como sendo o servo do profeta Eliseu e as gigantescas possibilidades de vir a ser o sucessor de Eliseu:
1. Servo de Eliseu,
2. "Filhos de Profeta". - seminarista?
. SUA ALMA, precisando de faxina. Agora vamos dar uma olhada outra vez, nas “lepras internas”, nas “lepras escondidas em lugares secretos” na alma de Geazi\;
1. Compulsão por dinheiro. Geazi, mesmo diante do milagre espetacular da purificação, quase que instantânea, do corpo do grande comandante do exército do rei da Síria, DIANTE DE SEUS OLHOS, não consegue fixar seu coração na benção, no milagre e nas proporções e consequências deste milagre na nação Síria. O retorno daquele homem, CURADO, à sua pátria, poderia significar a PAZ entre a Síria e Israel. Mas, a compulsão pelo dinheiro (como mencionou o Rev. Jeremias), o cegou de tudo o mais. A compulsão é uma força escravizadora e insensibilizadora. Capaz de impedir-nos de analisar as consequências de nossas ações, tanto para conosco, quanto para as pessoas que nos amam e vivem em nosso entorno, pisando nas mesmas calçadas de nossas pisadas diárias. Ele só tinha olhos para aquele montão de dinheiro disponibilizado, e rejeitado pelo seu senhor, o profeta Eliseu. Qual é sua COMPULSÃO? Sexo, drogas, vícios, jogos, mulheres, homens? Que coisas, dentro de você, tem tido o poder de lhe dominar, de lhe escravizar e de torná-lo(la) insensível à dor daqueles que o amam? Você já se deu conta de que esta compulsão o está levando à sua destruição? Esta compulsão ou vai MATÁ-LO ou irá MATAR as pessoas que você mais AMA, ou por quem você é muito amado. COMPULSÃO = MORTE.
NIVALDO NASSIFF
1 Coríntios 2:9”. As “lepras secretas” debilitam a fé, e esta, por sua vez, por estar debilitada, nos conduzirá à preocupação, ansiedade e desespero. Eliseu estava tranquilo, porque tinha a capacidade de ter a visão de Deus. Ele não se desesperava pelo que via, mas acreditava naquilo que Deus mostrava e tinha certeza que estava a salvo. É essa a diferença daqueles que têm fé no agir de Deus. Não se desesperam, não se esquecem da sua fé, não deixam de lado tudo o que já sabem e o que já aprenderam no caminhar com Deus. Quem tem visão de Deus vai além e dá testemunho. Para que Geazi não continuasse com sua falta de fé, Eliseu orou para que ele também fosse capaz de ver as coisas de outro modo. Para que sua cegueira humana não o limitasse de viver o milagre. Com certeza há situações difíceis, que são tão brutais e violentas, física e psicologicamente, que, se não há visão espiritual de tudo, nós jogamos no buraco negro da incerteza e deixamos que o desespero seja ainda maior. Que a fé, a certeza das coisas que não se vê, seja maior que qualquer circunstância, a ponto de conseguir dar um passo adiante para viver o milagre. "O SENHOR abre os olhos aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos, o SENHOR ama os justos. Salmos 146:8”. Às vezes, Deus nos permite um tempo, um momento de cegueira para que não nos percamos em nossas próprias razões, em atitudes erradas e, no impulso de querer fazer o certo, fazer o errado. A cegueira permitida por Deus, naquele instante, foi para que aqueles homens pudessem perceber que há sim como evitar mortes, guerras, com atitude de compaixão. É possível salvar vidas quando agimos conforme Ele quer e não segundo nossos ímpetos. "Porém, se não o ouvirem, serão traspassados pela lança e morrerão na sua cegueira. Jó 36:12”. Que possamos ter fé, o suficiente para sermos capazes de enxergar o que Deus tem para nós, independentemente das situações ao redor. “Era isto ocasião para tomares prata, e para tomares vestidos, e olivais, e vinhas, e ovelhas e bois e servos e servas? II Reis 5:26.

LEPRA DE GEAZI

NIVALDO NASSIF

Essas advertências são dirigidas não somente aos ricos. O problema não é a quantidade de posses materiais que temos, mas nossa atitude para com elas. A batalha contra a cobiça exige atenção constante. Precisamos ajustar, continuamente, os pensamentos com relação às nossas posses e rendê-las a Deus. Podemos manter constantemente a perspectiva doando ao Senhor não só as posses materiais. O melhor antidoto contra o “capitalismo” (capitalismo encapetado) é a doação de parte de suas posses, regulamente, à Igreja e/ou aos pobres. Se não formos cuidadosos, o amor às coisas materiais pode nos cegar quanto à nossa missão e verdadeiro propósito na vida e, no fim, provocar nossa ruína eterna. É estranho que Geazi tenha jurado a si mesmo pelo Deus vivo e então saíra a enganar. Ele pensava que o Deus vivo não o via? Que testemunho poderoso sobre o poder que tem nosso coração corrupto, de nos enganar! Isto não é muito parecido com os deputados evangélicos, que recebem dinheiro de corrupção (propinas), escondem nas cuecas e depois levantam os braços em aleluias e glórias a Deus, pela “graça” recebida? Não é bem parecido? O que me parece é que, a “lepras interiores” guardadas em "lugares secretos" de minha alma, tem tremendo poder de influenciar, de maneira absolutamente envenenada, a minha “visão” de Deus. Minha vida sempre será uma manifestação da maneira como creio em Deus, ou do Deus que eu creio. A minha maneira de ver o Senhor, determinará as ações de minha vida cotidiana. Portanto, devemos tomar extremo cuidado com nossas “verdades pessoais”, com a “nossa” maneira de “ver” as coisas. Nossas avaliações da verdade, dos fatos, da vida e das pessoas, podem estar sendo maculadas e deturpadamente avaliadas pelos “filtros internos”, salpicados da secreção nojentas e esbranquiçadas de nossas “lepras interiores”. Cuidado! Seus estereótipos podem estar contaminados por suas lepras! Coloque um papel colorido na frente da luz branca e, então, a luz branca parecerá da cor do “filtro”. Aí, você poderá enganadamente afirmar que a luz é daquela cor. Mas, estará engando. A luz é branca, seu filtro a tem adulterado. Cuidado com suas conclusões maculadas por lepras interiores. Elas bem podem estar erradas. Enquanto isso, Naamã fora muito generoso com os presentes que deu a Geazi, mas provavelmente tenha ido embora com algumas perguntas, especialmente quando seus dois servos voltaram com um relatório sobre o comportamento estranho do servo de Eliseu. Geazi deixou que sua cobiça interferisse no testemunho que Eliseu queria dar a esse novo converso. Evidentemente, no fim, o mesmo Deus que operou o milagre revelou a verdade a Eliseu sobre o que Geazi fizera, e assim seu ministério e sua vida foram arruinados. Geazi, andava com um profeta de Deus, lado a lado, diariamente, e sabia o quanto ele buscava ao Senhor e como caminhava pela fé. Mas, mesmo assim, foi limitado por sua falta de fé. O que aprendemos é que, de fato, as “lepras interiores” debilitam a fé. É isso que nos limita a ver além: a nossa falta de fé ou fé debilitada. Quando olhamos para uma situação e não vemos para onde correr, como nos livrarmos daquilo, nos vemos em uma circunstância em que não há como ir para frente e nem para trás. Se tivermos a cegueira do homem natural, não conseguiremos entender o que Deus tem preparado, porque somente os que possuem visão de Deus são capazes de enxergar o livramento. "De onde me virá o socorro...?", perguntou o Salmista: "Como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. 

A QUEDA DE GEAZI

NIVALDO NASSIFF
A QUEDA DE GEAZI. Às vezes, é difícil entender por que alguns personagens da Bíblia agiram de certa forma. Especialmente diante de tantos eventos miraculosos. Ele participou de milagres extraordinários enquanto serviu a Eliseu. A incrível cura de Naamã ocorreu justamente à frente de Geazi. Ele viu, não só o poder de Deus, mas também os atos de seu senhor, que se recusou a receber o dinheiro do grande comandante. Poderíamos pensar que aquele episódio era mais que suficiente para humilhá-lo, diante de Deus e dos homens, mas, aparentemente, isso não aconteceu. Até que ponto, um ambiente de milagres é, por si só, suficiente para nos transformar? Será que nossa decisão tem importância nesta hora? Basta estar no lugar certo, na hora certa, para que sejamos “contagiados” pela unção? Ou algo precisará ser decidido no meu interior? Ou ainda, até que ponto posso conviver com a benção e mesmo assim ter o livre arbítrio de impedi-la de me transformar? O oposto seria verdadeiro? Se eu viver no meio da imundície, da sujeira moral, dos maus costumes e péssimos exemplos, serei contaminado por eles, mesmo contra minha vontade? Um pregador disse que colocar boas coisas na cabeça é sempre mais difícil do que colocar coisas ruins. Ele disse: “coloque dois diamantes soltos na cabeça. Eles escorregarão e cairão. Mas, coloque um casal de piolhos e darão cria! Provavelmente, a mente humana absorve e suga a maldade mais facilmente. Pois, disso ela está formada, como herança do atos de Adão. O grande rei David disse que: “em pecado fui formado”. Creio que se vivermos rodeados do mal; se formos demasiadamente expostos à sujeira moral, acabaremos, mesmo contra a vontade, sendo contaminados por ela. Se vivermos rodeados de bons exemplos, de gente de boa conduta, num ambiente de limpeza moral, de honestidade e, quem sabe de milagres, poderemos, AO MENOS, ter melhores chances do que na situação oposta. Mas, mesmo assim, precisaremos aprender a lidar com as “LEPRAS INTERIORES”, armazenadas em locais secretos de nossa alma. A lepra nos torna “insensíveis” até às manifestações milagrosas do Espírito Santo. Por causa destas “lepras”, somos capazes de entristecer e até extinguir o fogo do Espírito Santo em nossa vida. Leia Hebreus 5 e 6. A “lepra” da cobiça e da compulsão por dinheiro, escondida no coração de Geazi, o fez “racionalizar” em cima de outras lepras escondidas nele: seu “nacionalismo ou preconceito étnico”; sua incapacidade de perdoar um inimigo, que a pouco tempo atrás vencera uma guerra contra Israel, levando muitos israelitas para a Síria e transformando-os em escravos. Estas “lepras”, da compulsão, cobiça, nacionalismo, preconceito étnico e falta de capacidade de perdoar, o fizeram correr atrás daquele homem recém convertido e “tomar alguma vantagem dele”. Também é preciso mencionar que a Bíblia está cheia de advertências contra o amor ao dinheiro e os perigos das posses terrenas. 

QUEM FOI GEAZI ?

PASTOR NIVALDO NASSIF
QUEM FOI GEAZI? Geazi era um servo. Não um servo qualquer, mas servo de um dos maiores profetas da história de Israel: Eliseu. Ele tinha sido chamado pelo Senhor para auxiliar o profeta Elias, preparando-se para seu próprio ministério profético – 1 Reis 19:16. Por muitos anos, Eliseu serviu a Elias e ouviu, observou, e assim entendeu o que significa ser um profeta. Quando Elias foi elevado ao Céu, em um redemoinho de fogo – 2 Reis 2:11, chegou o tempo de Eliseu. Seu ministério foi tão ardente e fascinante, quanto o de Elias. Ele mostrou uma influência de longo alcance sobre a nação israelita. Desse modo, Geazi teve a maravilhosa oportunidade de estar associado, intimamente, a alguém tão abençoado por Deus como Eliseu. É difícil imaginar tudo o que ele poderia ter aprendido, e visto, nos anos em que trabalhou com o profeta. Mas, apesar de tanto potencial e das grandes oportunidades, Geazi se tornou uma pessoa infeliz, enferma e dona de um legado de enfermidades, em toda sua descendência. Sua história serve como exemplo de alguém que é desviado, por suas “lepras interiores”, e acaba sendo impossibilitado de fazer a diferença entre o temporal e o eterno. Bem provavelmente, perdera a chance de ser o sucessor de Eliseu. Geazi, antes de herdar a lepra de Naamã, já vinha convivendo com uma “lepra interior”, que sujava as ruas e labirintos mais escondidos de sua alma. Geazi, vai nos ensinar que a luz do Espírito Santo precisará ter permissão de visitar todos os cantos e recônditos de nossa alma, mente e coração. Sondando nossas motivações mais secretas, nossas ambições mais aneladas, nossas cobiças mais privadas. Para lá dentro, de lá de dentro (na linguagem do Pr. Jeré), promover uma faxina. Se assim não procedermos, correremos o risco de vivermos como Geazi e, quem sabe, fracassarmos como Geazi e, quem sabe, não conseguirmos mais ser restaurados! Ser um servo significava, principalmente, que a pessoa punha de lado os próprios desejos, vontade e conforto, e se envolvia totalmente na vida de outra pessoa. Um servo existia para ajudar o senhor a executar seus planos, desejos e atividades. Às vezes, ser um servo envolvia levar mensagens, acompanhar alguém, agir em nome da pessoa e executar qualquer tarefa servil necessária. Em outras ocasiões, envolvia a administração das finanças e da casa. Mas o servo sempre agia, não para promover seus próprios objetivos, e sim os de seu senhor. Geazi era o servo do profeta Eliseu. Ser servo de um profeta era um privilégio sem igual. Envolvia mais que trabalho servil. Era um tipo de aprendizado. O próprio Eliseu atuou como servo de Elias – 1 Reis 19:19-21. Embora o ofício do profeta dependesse de um chamado divino, pareceria que esse tempo especial de serviço, junto ao profeta, ajudava o profeta, em perspectiva, a desenvolver fé e confiança em Deus. Servindo ao seu senhor Elias, Eliseu aprendeu a se pôr de lado e servir aos outros. Não temos nenhum registro de que Geazi tenha sido chamado, mas certamente ele estava no melhor ambiente, e junto ao melhor mestre de seu tempo. A questão era: Geazi saberia aproveitar? Parece que não.
- O QUE SIGNIFICA SER UM LÍDER SERVO? - João 13:1-17. Só será bom líder quem já serviu. Quem não aprendeu a servir, dificilmente conseguirá liderar bem; não saberá o custo de servir. O bom serviço de Geazi provaria ser a melhor qualificação para qualquer envolvimento no futuro, dele e de qualquer um de nós. E o Senhor Jesus viria a dizer (afirmar) que, a disposição de ser servo era uma condição prévia para qualquer posição de liderança na igreja - Marcos 9:35. A grande pergunta que devemos fazer a nós mesmos é: como podemos obter a necessária humildade, e a morte do nosso eu, a fim de servir aos outros? Como aprendemos a servir aos outros com a atitude de não buscar nada em retribuição, para nós mesmos? Um bom professor ensina por exemplo, e dá suficientes oportunidades para que os alunos apliquem o que estão aprendendo. Eliseu era esse tipo de professor. Seria Geazi este tipo de aluno?

CONTINUAÇÃO DA REFLEXÃO SOBRE GEAZI

2. ELISEU PEDE PARA O SENHOR ABRIR OS OLHOS DE GEAZI - 2 Reis 6:8-23. Bem provavelmente se tratava ainda de Geazi, uma vez que no capítulo 8 ele ainda é identificado como sendo o moço do profeta Eliseu. Eliseu era tremendamente usado por Deus, que sempre lhe revelava as intenções do rei da Síria contra Israel. Eliseu ficava sabendo até das palavras que saiam dos lábios do rei da Síria em reuniões secretas. Quando o rei da Síria descobre se tratar de Eliseu, manda cercar sua cidade para extermina-lo. De madrugada, o moço se levanta para ir preparar o café da manhã. Quando vai lá fora, vê a cidadezinha cercada por um forte e muito bem armado exército inimigo. O moço entra em pânico e corre dizer de seu desespero a Eliseu. Então Eliseu lhe responde que o exército do Senhor era ainda maior e mais poderoso. Como percebe o desespero de Geazi, Eliseu pede a Deus que lhe abra os olhos, para ver o exército do Senhor. Foi quando o rapaz pôde ver cavalos e carros de fogo ao redor do profeta - 2 Reis 6:17. Geazi viu tudo isto. Geazi presenciou mais este milagre. Parece que uma boa lição aqui é esta: por que o Senhor, que tanto revelava a Eliseu os passos do exército inimigo, não lhe revelou mais esta estratégia do inimigo, dando-lhe assim, tempo para fugir dali? Porque, me parece, que o Senhor nos deixa passar por duras situações, às vezes, pois desta maneira, pessoas à nossa volta serão abençoadas e impactadas, pela maneira como conseguimos enfrentar situações humanamente insolúveis, com serenidade e paz, pois “temos” (temos?) uma visão daquele que é maior e mais poderoso. O Pastor de minha Igreja (Pr. David Uth), pregou outro dia, e disse: “preocupação é o ateísmo em prática. Quanto mais fé, menos preocupação, menos fé mais preocupação”.
3. CONTANDO AO REI DE ISRAEL OS FEITOS DE ELISEU - 2 Reis 8:4-6. Muitos anos haviam passado desde o grande milagre da ressurreição do filho da sunamita. A doença de pele de Geazi não deve tê-lo deixado muito desfigurado, pois o encontramos na corte real; ou fora restaurado em algum momento, que a bíblia não mencionou. Geazi, servo de Eliseu, estava falando sobre o que havia acontecido. Falava sobre Eliseu e seus milagres. O autor bíblico diz que no momento preciso, em que Geazi estava contando sobre o milagre do filho da sunamita devolvido à vida, a própria sunamita apareceu diante do rei. Em Sua providência, Deus usou a Geazi para ajudar a mulher de Suném. Provavelmente, a mulher de Suném seria viúva, visto que não se faz nenhuma menção à seu marido. É incomum que uma mulher comparecesse diante do rei, em um negócio tão importante, em lugar do marido. Mais provavelmente, ela tivesse sustentado a família até que seu filho tivesse idade suficiente. Ela havia estado fora do país por sete anos, durante uma seca severa. Pessoalmente, acredito que este acontecimento foi uma forma do Senhor receber a restauração de Geazi. Também foi a forma honrada como o Senhor tira Geazi da história. Jamais se mencionará o nome dele outra vez, enquanto viveu. Geazi desapareceu da história. A parte triste da narrativa é o fato de que Geazi poderia ter feito o trabalho de Deus. Poderia ter aprendido de Eliseu. Poderia ter sido o profeta importante seguinte, ou talvez, um líder e professor nas escolas dos profetas. Agora, tudo o que ele podia fazer era falar sobre os bons dias do passado, quando ele havia trabalhado com o profeta. Geazi poderia ter feito história, porém, agora, tudo o que ele podia fazer era contar história.
Podemos resumir a vida de Geazi desta forma: os episódios descritos nos capítulos 4-8 do segundo livro dos Reis, nos quais o nome de Geazi é mencionado, dão-nos uma idéia dos altos e baixos verificados no desenvolvimento do caráter desse homem. Os referidos episódios aconteceram:
a. Quando sugeriu uma recompensa à mulher sunamita;
b. Por ocasião da morte do filho da sunamita;
c. Quando ambicionou para si os presentes que Eliseu havia recusado de Naamã, o general sírio;
d. Quando temeu os exércitos do rei da Síria, no cerco da cidade de Dotã;
e. Quando narrou, perante o rei Jorão, os feitos de Elizeu - II Rs 4:12 14, 5:20-24, 6:15 -17, 8:2-5.

Vamos então, ao que o Senhor me tem dado sobre a vida de Geazi?


REFLEXÕES DO  NIVALDO NASSIFF.


 Assim sendo, deixe-me expor o que vai no meu coração a respeito da vida de Geazi: ele fora um homem que viveu uma vida que eu corro o risco, o dia inteiro, de viver. Mas, EU NÃO QUERO VIVER como Ele viveu. Talvez eu queira terminar minha vida como ele terminou: RESTAURADO. É minha opinião que houve tempo para Geazi ser restaurado. Vamos conversar sobre isto mais tarde, quando vermos esta evidência no capítulo 8 de II Reis.


A HISTÓRIA E CRONOLOGIA DE GEAZI
Será nos capítulos de 4 a 8, do segundo livro dos Reis, onde vamos encontrar as informações que marcaram a presença de Geazi, como personagem da história do antigo povo de Deus. Embora conhecido como: “o moço de Eliseu”, Geazi é mencionado neste trecho das Escrituras, pelo próprio nome, várias vezes - II Rs 4:12,14 ,25,27,29,31, 5:20,21,25 e 8:4.
Cronologia:
1. A MULHER SUNAMITA - 2 Reis 4:8-17. A história da mulher de Suném descreve outro milagre envolvendo uma mulher. Eliseu estava a caminho de Suném. Ela era uma mulher casada, porém, o nome de marido não é dado. Tudo o que sabemos é que ele foi consultado sobre a construção do quarto de hóspedes. Também que era idoso, embora ainda parecesse ter forças suficientes para supervisionar a colheita de seus campos. Na primeira parte da história Eliseu envolveu Geazi ativamente. Ele o enviou a chamar a mulher, e incluiu Geazi em sua expressão de gratidão. Pediu a opinião de Geazi e atendeu à sua sugestão. Geazi ajudou muito na ocasião por ser observador e mostrar sensibilidade às reais necessidades da mulher. Eliseu deu a Geazi a oportunidade de desencadear um milagre. Dentro de um ano, a criança, fruto do milagre nasceu. Aquela criança já era um garoto e Geazi ainda era servo de Eliseu. Porém, PARECE que parte da sensibilidade que antes possuía desaparecera. Quando a mulher chegou e passou correndo por ele para se lançar aos pés de Eliseu, Geazi tentou afastá-la. Ele não parecia ver sua profunda angústia, como Eliseu via. Às vezes é fácil sermos tão egoístas, e centrados em nós mesmos, que nos tornamos surdos aos sentimentos e necessidades dos outros. Será que isto estava acontecendo com Geazi, com o passar do anos? Quem não viveu situações de egoísmo ou insensibilidade? O importante então será buscar aprender a ser mais sensível aos sentimentos e necessidades dos outros. De igual modo, será preciso pensar em como podemos aprender a tolerar graciosamente a insensibilidade dos outros, em relação a nós mesmos. Não acha?

REFLEXÕES SOBRE GEAZI

NIVALDO NASSIFF
Por que Geazi, servo de Elizeu fracassou? - II Reis 4 
Precisamos olhar para a alma de Geazi como quem olha para um espelho, para enxergar as próprias falhas. Isto porque, muitas vezes, os problemas que havia na alma de Geazi são os mesmos da nossa alma.
I)OS PROBLEMAS DA ALMA DE UM PASTOR.
1.COMPULSÃO POR DINHEIRO. Qual é a sua compulsão?
2.A COBIÇA. Faça uma auto análise a partir dos dez mandamentos.
3.USAR A MENTIRA PARA TIRAR DINHEIRO DO POVO. Essa era uma das fraquezas de Geazi.
4.USAR O NOME DO SENHOR DE MANEIRA INDEVIDA. Geazi mentiu para Naamã em nome do Senhor.
5.TER UM LUGAR SECRETO PARA O PECADO. Disse Russel Shed: "O pastor precisa ler a Bíblia todos os dias, porque todo pregador tem um pouco de lobo".
6.DIFICULDADE PARA SER O SEGUNDO. Quem não sabe ser o segundo, nunca estará apto para ser o primeiro.
7.A MANIPULAÇÃO DAS PESSOAS. Geazi usa os servos de Naamã para fazer o que é errado, carregar aquilo que de certa forma era ilícito.
II)COMO CURAR A ALMA DO PASTOR
1. Cuidado com o "monólogo interior". Aquilo que você conversa consigo mesmo. Geazi disse à si mesmo. Aquilo que você conversa consigo mesmo, revela muito sobre o estado da tua alma.
2. Saiba que Deus te vê por dentro. Geazi, o Deus que me acompanha, te acompanhou. As câmeras de Deus estão dentro de seu coração.
3. Preste conta de sua vida. Geazi, de onde você vem? Quem vive sem prestar constas a ninguém, vive desprotegido:
a. Do seu ministério.
b. Do seu casamento.
c. Do dinheiro da igreja.
4. Aproveite as oportunidade de arrependimento. De onde você vem Geazi? Teve oportunidade de se arrepender e não se arrependeu.
5. Aprenda a depender de Deus. Não trabalhe só pelo dinheiro.
6. Viva sempre consciente do juízo de Deus. A lepra de Naamã vai pegar em você e nos seus descendentes; disse Eliseu.
7. Faça restituição, devolva o que você pegou Geazi. Geazi não fez isso.
8. Confie sua vida de modo novo, nas mãos do Senhor Geazi. Recomece tudo de novo de forma diferente.
O Pastor Jeremias costuma dizer que, mais importante do que fazer anotações é fazer a sua DECISÃO. O que você vai fazer com o que ouviu ou leu? Que decisão vai tomar a respeito? Então vai já tomando suas decisões! Não perca tempo.
O saudoso Pr. Ari Veloso, costumava, com ironia, dizer que: “A originalidade é a arte de esconder a fonte”. O Pr. Rick Warren, disse certa vez que: “Se você copiar de uma só pessoa, é plágio. Se você copiar de 5 pessoas, então já é pesquisa. Mas se você copiar de 15 ou mais, então já virou sua própria inspiração”.
Desta maneira, quero confessar que tomarei alguns pontos do sermão do Pastor Jeré, aqui em meu texto. 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O amor não morre, a gente é que o mata!



A igreja deve-se concentrar nos lares que a compõem, principalmente na relação entre marido e mulher. A criação dos filhos é também uma enorme preocupação, mas ela não pode passar à frente do relacionamento dos pais. Se os filhos não tiverem o exemplo dos pais, que tipo de educação desenvolverão em suas vidas? Serão servos fiéis do Senhor amanhã?
O divórcio cresce de forma desenfreada, até mesmo no meio daqueles que se declaram crentes em Cristo Jesus. As frases mais comuns que ouvimos são: “Eu tenho o direito de ser feliz. Meu amor acabou. Preciso repensar a minha vida”. A que mais me chama a atenção é concluir que o amor acabou. Será que isso quer dizer que acabou nesse relacionamento e pode recomeçar em outro? Já pensou se o Senhor Jesus cansasse de nos amar e escolhesse outra pessoa um pouco melhor para amar? Teria o Senhor Jesus argumentos para agir assim? Claro que sim! Ainda bem que Ele não age como os homens.
O amor pode ser apunhalado quando não o conhecemos. As estatísticas quanto ao divórcio entre os crentes assustam. Será que aqueles que dizem que o amor acabou em seus casamentos conheceram o verdadeiro amor? A verdadeira conversão traz em seu bojo a grande verdade declarada pelo apóstolo Paulo: “Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” Gálatas 2.20. Se o amor acabou pode ser porque a pessoa nunca o conheceu de verdade, ou vive um momento de frieza espiritual, agindo como se fosse um ser natural e não espiritual.
Definitivamente o crente não mata o amor. O Amor não morre! Podemos sufocá-lo dando vazão ao seu sentimento, suas emoções. Isso acontece quando iludido pelo mundo e pela sociedade corrupta, encontra respaldo para agir como ela age, e vem com mais uma dessas frases elaboradas pelo inimigo: “Preciso repensar a minha vida, a sociedade mudou”. É interessante que poucos pensam em repensar e recuperar. O inimigo sempre sugere o caminho mais fácil: começar outro amor. Esse outro (amor egoísta), daqui a pouco exigirá um novo repensar, e assim por diante.
Matamos o Amor quando o fruto do Espírito, definido em Gálatas 5.22-23:amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio, não aparece em nossas vidas. Matamos o Amor quando aparecem as obras da carne em nossas vidas definidas em Gálatas 5.19-21: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices e glutonarias.
Definitivamente o amor nunca morre, nós o matamos!

Pr. Mendes